Final feliz para a Festa do Divino de 2004
No ano de 2003, a comunidade assistiu a várias mudanças de autoridades da cidade:
- A Promotora Matilde Patente substituiu a Dra. Joseli.
- Na Matriz de N. S. da Saúde um novo Pároco, Padre Joaquim Miranda, vindo de Belo Horizonte, substituiu o Padre Joaquim Santana, aposentado por idade.
- Na Polícia Civil, saíram os Delegados Dr. Benvindo e Dr. Marcos, e assumiu o Dr. Edson J. Pereira.
Tais mudanças no comando das competentes instituições, mostraram um novo estilo de trabalho e de comunicação com a sociedade.
O reflexo desta postura, no caso do Ministério Público, segundo informações da Secretaria de Turismo, é uma preocupação maior com a segurança nas festas religiosas e proteção do meio ambiente. Já no âmbito da Igreja Católica, o novo pároco expõe aos fiéis a necessidade de uma maior devoção nas comemorações dos feriados religiosos, em detrimento das comemorações externas, desestimulando a montagem das tradicionais barracas, presentes em todas as festas.
Como consequência destes novos posicionamentos, em novembro de 2003, a comemoração do dia se São Sebastião, Padroeiro da Paróquia da Várzea, não contou com as tradicionais barraquinhas.
Já agora em 2004, para a realização da Festa do Divino, foram necessárias reuniões com a Promotoria, Igreja e Prefeitura, para que fosse felizmente liberada a montagem da estrutura externa da festa (palco, barracas, banda de música, medalhas, etc).
A estrutura teve um custo de R$4.000,00, sendo R$2.500,00 doados pela Prefeitura e o restante será coberto com os aluguéis das barracas. Já o dinheiro arrecadado com os leilões fica para a Igreja.
Assim, a Imperatriz da Festa, Leda Regina, e o Imperador, Diego Henrique, vão ser coroados como os seus antecessores.
Apesar dos acontecimentos, não se deve olhar as barracas como o lado ruim da festa, pois os devotos, após as missas e cerimônias, sempre vão para as barracas se encontrar com outras famílias, amigos e ex-moradores, que não deixam de prestigiar as festas.
Não se pode acabar com uma tradição por causa de algumas confusões causadas pelos baderneiros, pois tal problema deve ser contornado pela segurança pública e organizadores.
As barracas estão presentes na maioria das cidades do país, como Curvelo, Santa Luzia, Sabará, dentre várias outras. O maior exemplo de comemoração é a Festa de Nossa Senhora da Aparecida, Padroeira do Brasil, na cidade de Aparecida do Norte/SP.




21 a 31 de maio 2004
Paroquia N. Sra. da Saúde

Histórico da Festa
A Festa do Divino Espírito Santo nasceu em Portugal a partir de um sonho real. Conta-se que a rainha Isabel ( 1271-1336 ) estando a pernoitar com seu marido, El Rei D. Diniz, na Vila de Alenquer, teve um sonho. Nele, Deus informava que muito mais se alegraria se fosse construída naquele localidade uma igreja ao Espírito Santo. Ao acordar, a rainha Isabel mandou pedir aos juízes da Vila que lhe enviassem quatro pedreiros e seis ajudantes, e ordenou-lhes que fincassem os alicerces em determinado lugar. Ali chegando, no entanto, encontraram os alicerces já começados embora pessoa alguma os tivessem feitos. A rainha viu nisso a mão de Deus e orou agradecendo o milagre. Conta-se também que os operários receberam rosas da rainha, como pagamento, e elas se transformaram em dinheiro.

IMPERADOR - 2004: Diego Henrique
É uma honra muito grande e uma benção para a família ser Imperador do Divino. Ele é escolhido anualmente e acredita-se que tal escolha seja inspirada pelo próprio Espirito Santo.

IMPERATRIZ, - 2004: Lêda Regina
Além do Imperador, a festa inclui nas solenidades a presença obrigatória de outras pessoas distinguidas com outros títulos, como o Capitão e Regente da Guarda e, sobretudo, a Imperatriz e sua Corte: Damas, Príncipes, Guarda Real e Caudatários.
A Imperatríz é a primeira dama da festa, a quem compete acompanhar o Imperador em todas as solenidades.



Procissão do Império do Divino,
Esta tradicional procissão é acompanhada pelos fiéis que conduzem o andor com a Imagem do Divino Espírito Santo. A procissão é acrescida dos novos membros da família Imperial, chefiada pelo ex- Imperador.


IMPERADORES DO DIVINO:
1987 - Tristão e Gloria
1988 - Geraldo Mariano e Andréia
1989 - Dalmo e Maria de Abreu
1990 - Geraldo Magela e Lúcia
1991 - Dimas Barbosa e Sandra Araújo
1992 - Márcio e Neide
1993 - Geraldo (Peuba) e Miria
1994 - Hessel e Zainha
1995 - Nelsinho e Vânia
1996 - Ernani e Margarida
1997 - Maurício e Adriana
1998 - Márcio e Maristela
1999 - Geraldo e Silvia
2000 - Alexandre e Sueli
2001 - Rachid Tufik e Ireni
2002 - Eduardo Salomão e Sâmara
2003 - Eustáquio A. Maia e Cátia Maia
2004 - Diego Henrique e Lêda Regina












Em Lagoa santa, a festa foi realizada até meados do século passado e desativada por longos anos, renasceu em 1987.

Fonte: Marlene Luzia Viana
Adaptação: www.lagoasanta.com.br
-
imagens da festa em 2003

www.portaldodivino.com